Tendinite nos membros superiores: o que você precisa saber

No nosso dia-a-dia, é comum ouvirmos falar a respeito das tendinites. Apesar disso, ainda restam muitas dúvidas sobre as principais tendinopatias, e hoje vamos falar sobre as que afetam especificamente os nossos membros superiores, suas classificações, o diagnóstico e o tratamento.

O que é a tendinite?

As tendinites são lesões nos tendões, que são as partes finais e mais sensíveis dos nossos músculos. Essas lesões são caracterizadas por dor localizada e perda funcional nas regiões acometidas. A principal causa dessa condição é a sobrecarga muscular, associada a movimentos repetitivos.

Como é feito o diagnóstico dessa condição?

O diagnóstico das tendinites é realizado, na maioria das vezes, através da associação entre achados clínicos e exames de imagem, como o ultrassom e a ressonância magnética. Esses exames complementares possibilitam que o médico entenda e classifique melhor a tendinopatia, elaborando um plano de tratamento mais preciso e individualizado, de acordo com o caso de cada paciente.

Quais são as tendinites mais comuns nos membros superiores?

No corpo humano, os membros superiores são formados pelo conjunto de ombro, braço, antebraço e mão. Nessa região, as tendinites comumente atingem os músculos extensores: radiais curto e longo do carpo, flexor ulnar do carpo, flexor profundo dos dedos e os músculos que compõem o manguito rotador. Cada um desses músculos possui uma função e localização específicas e, portanto, são muitas as regiões que podem ser atingidas por tendinites nos membros superiores.

Como tratar a tendinite?

Inicialmente, as tendinites podem ser mais ou menos complicadas. As mais simples podem ser transitórias, causando uma inflamação que se resolve naturalmente após alguns dias. As mais complexas, no entanto, podem ser de difícil tratamento e se não acompanhadas e tratadas com urgência, podem chegar a prejudicar permanentemente a função de tendões atingidos. 

O tratamento das tendinites geralmente é feito realizando, inicialmente, o afastamento das atividades que provocam dor no paciente. A partir daí, recomenda-se uma rotina de fisioterapia associada ao fortalecimento muscular adequado da região acometida. A cirurgia geralmente é reservada para os casos mais graves, onde não há melhora com os tratamentos iniciais, como forma de resolver o problema e devolver qualidade de vida ao paciente.

As tendinopatias dos membros superiores são lesões específicas que requerem acompanhamento médico especializado. Na Verticali, você pode contar com o Dr. Marcelo Nishimura e com o Dr. Ricardo Penno.